Pesquisar

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Desemprego


“Eu tenho vontade ser menos intensa, só pra poder entender como o resto do mundo aguenta essas coisas que me devoram permanentemente e de uma forma tão absurda...” 

Clarice Lispector

É um pouco difícil começar essa postagem, porquê quando tento pensar nisso não me vem nada, só uma vontade sem força de reagir, o desemprego me corrói lentamente!
Faz um mês que chove quase todos os dias em minha cidade e com isso não está dando para mexer no jardim, faço uma mudança ou outra, mas assim como na minha vida não estou satisfeita e nem conseguindo organizar... Tem planta morrendo, planta de multiplicando, umas lindas e a terra tão "empaçocada"!
Essa semana quando a chuva deu uma trégua, consegui matar lesmas gigantescas, gafanhotos que estavam comendo um Hibisco que amo demais e cochonilha na Tumbérgia, afff tenho pavor dessa praga... 

As espécies de cochonilhas podem ter aparência muito distinta umas das outras. Elas podem ser algodonosas, de cor branca e aspecto farinhento, ou cerosas, de colorações variadas, como laranja, vermelho, verde, marrom, perolado, cinza, etc. As formas também são variadas, como cabeças de prego, conchas de ostras, bolinhas, escamas, etc 
As fêmeas adultas são as pragas propriamente ditas. Elas são imóveis e com aparelho bucal sugador muito desenvolvido, capaz de sugar a seiva diretamente dos sistema vascular das plantas. Após a fixação, elas produzem cera, que forma a carapaça, recobrindo seu corpo como um escudo e que serve de proteção contra os inimigos naturais e os inseticidas. (...) 
As cochonilhas podem ser encontrados em ramos, folhas, frutos e raízes das mais diversas plantas. Muitas apresentam associação com formigas, que as protegem em troca da secreção adocicada que produzem. Esta secreção também propicia o surgimento da fumagina (Meliola sp e Capnodium sp), fungos de micélio escuro, que recobre as partes da planta, impedindo a fotossíntese. As cochonilhas apresentam difícil controle através de inseticidas, principalmente as que têm espessa carapaça. A carapaça impede o contato dos produtos com o corpo do inseto e, desta forma o inseticida acaba afetando apenas os estágios de ninfas e os machos. No entanto o controle com pulverizações de emulsões de sabão e óleo mineral é efetivo, pois resulta em uma camada impermeável sobre o inseto, impedindo-o de respirar, matando assim por sufocamento. Combinações com calda de fumo também podem auxiliar na eliminação da praga.O controle biológico é muito importante no controle e é realizado por joaninhas e algumas espécies de vespas. Estes insetos agem predando as cochonilhas e outras pragas como pulgões. Portanto deve-se evitar ao máximo o uso de inseticidas sobre plantas afetadas, pois podemos estar matando os importantes predadores e outros insetos benéficos, como abelhas polinizadoras, sem no entanto afetar cochonilhas mais resistentes.
 (http://www.jardineiro.net/pragas/cochonilha.html) 

Eu joguei inseticida, mas também cortei as partes da planta que estavam com cochonilha e joguei fora!
Assim como no jardim, quando paramos de nos cuidar, as enfermidades aparecem! Sinto que as pragas que invadiram meu jardim nesse momento de descuido são similares as da minha alma... Agora que tirei elas do jardim, preciso tira-las de mim; assim como quero afofar a terra e colocar adubo, também quero afofar meu coração e o alimentar de esperança e força de seguir em frente, tentar fazer a diferença... não quero deixar o jardim a "Deus dará" não quero ser vítima das circunstancias! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário